Caraguatatuba decretou hoje (04) estado de calamidade pública após o avanço da epidemia de dengue na cidade

Com o estado de calamidade pública, agentes de saúde poderão entrar em imóveis fechados, abandonados ou em casas onde o proprietário se recuse a permitir o acesso das equipes. O decreto também permite a contratação temporária e emergencial de funcionários para a secretaria de Saúde, pelo prazo de 90 dias, prorrogáveis pelo mesmo período, diz  Antônio Carlos da Silva (PSDB), prefeito de Caraguatatuba

Com o estado de calamidade pública, agentes de saúde poderão entrar em imóveis fechados, abandonados ou em casas onde o proprietário se recuse a permitir o acesso das equipes. O decreto também permite a contratação temporária e emergencial de funcionários para a secretaria de Saúde, pelo prazo de 90 dias, prorrogáveis pelo mesmo período, diz Antônio Carlos da Silva (PSDB), prefeito de Caraguatatuba

São 754 casos de dengue confirmados neste ano, Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo, decretou estado de calamidade pública nesta terça-feira (3) por conta da doença. O objetivo da prefeitura com o decreto é garantir medidas e ações emergencias, necessárias para cobater o avanço da doença.
De acordo com a secretaria de Saúde, além dos 754 casos confirmados, o município – com cerca de 100 mil habitantes – contabiliza 1.995 notificações e uma morte confirmada pela doença desde o início do ano. Do número total de notificações, 842 casos foram descartados e 399 estão sendo investigados. Nos dois primeiros meses do ano passado, a cidade tinha apenas 17 casos confirmados da doença.
Com o estado de calamidade pública, agentes de saúde poderão entrar em imóveis fechados, abandonados ou em casas onde o proprietário se recuse a permitir o acesso das equipes. O decreto também permite a contratação temporária e emergencial de funcionários para a secretaria de Saúde, pelo prazo de 90 dias, prorrogáveis pelo mesmo período.
A pasta também está autorizada a fazer aquisição de bens, como medicamentos, e contratação de obras e serviços necessários para prevenção e tratamento dos pacientes. Para isso, o decreto dispensa a realização de licitação, desde que as compras sejam concluídas no prazo máximo de 180 dias.
Com o avanço da epidemia, a cidade tem intensificado as ações de combate a dengue com operação especial. Entre as ações, estão serviços de capina, varrição e bloqueios, como a retirada de criadouros de dentro das casas e nebulização.
A prefeitura também realiza a retirada de objetos e resíduos descartados pela população em diversos bairros. Entre sexta-feira (6) e sábado (7), caminhões realizarão coleta pelos bairros Travessão, Tinga e Praia das Palmeiras.

” Amigos, preciso da ajuda de toda a comunidade para combatermos juntos a Dengue. Ontem assinei o Decreto 246, que declarou estado de emergência e de calamidade pública para execução de ações necessárias à prevenção e ao combate da Dengue.
Tivemos um aumento dos números de casos confirmados da doença em comparação ao mesmo período de 2014 e também crescimento expressivo no número de atendimentos relacionados à Dengue nos primeiros meses deste ano.
Com o estado de emergência e de calamidade pública, a secretaria de Saúde está autorizada, quando necessário, a permitir a entrada dos agentes em casas fechadas, abandonadas ou imóveis onde o proprietário se recusa a abrir e permitir o acesso às dependências, além de outras medidas que vocês podem conferir no site da prefeitura: http://goo.gl/HZrHGE.
Para mais informações, entrem em contato com o Disque Denúncia do CCZ – (12) 3887-6888/2159. Conto com a colaboração de vocês.” Antonio Carlos, prefeito de Caraguatatuba.

Disque denúncia do CCZ: (12) 3887-6888/2159

Foto: Divulgação/PMC

Subscribe to Comments RSS Feed in this post

One Response

  1. E aí prefeito ANtonio Carlos não seria a hora dos caminhões de fumacê????

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam