Vendaval e forte chuva alagam e derrubam arvores hoje (14) em Barequeçaba, Maresias, Boiçucanga Toque Toque e Barra do Sahy em São Sebastião

Segundo Carlos Eduardo dos Santos, o Carlão, responsável pela Defesa Civil, em trechos das ruas Sebastião Romão César (Maresias) e Guarucanga (Boiçucanga), a altura da água pluvial chegou a 0,40 cm e 0,22 cm, respectivamente. “Estes foram os pontos de alagamentos mais altos que verificamos pela manhã”, falou Carlão. “Não houve necessidade de remover nenhuma família de suas moradias”, acrescentou

Segundo Carlos Eduardo dos Santos, o Carlão, responsável pela Defesa Civil, em trechos das ruas Sebastião Romão César (Maresias) e Guarucanga (Boiçucanga), a altura da água pluvial chegou a 0,40 cm e 0,22 cm, respectivamente. “Estes foram os pontos de alagamentos mais altos que verificamos pela manhã”, falou Carlão. “Não houve necessidade de remover nenhuma família de suas moradias”, acrescentou

A forte chuva que atingiu o município na manhã desta quarta-feira (14), acompanhada de ventos de até 60 km/h, provocou diversos pontos de alagamentos e quedas de árvores em bairros situados no Centro e nas Costas Norte e Sul.

De acordo com a Defesa Civil, o índice pluviométrico registrado foi de 50 milímetros em um período de 44 minutos.

Os alagamentos ocorreram nas ruas do Centro e em trechos da rodovia Dr. Manoel Hipólito do Rego, em locais como Pontal da Cruz, Porto Grande e Portal da Olaria, todos na região central da cidade. O fenômeno fez com que os condutores de veículos tivessem dificuldade para trafegar devido ao acúmulo de água.

Na Costa Sul, os pontos que alagaram ficam em Barequeçaba, Maresias, Boiçucanga e Barra do Sahy.

Segundo Carlos Eduardo dos Santos, o Carlão, responsável pela Defesa Civil, em trechos das ruas Sebastião Romão César (Maresias) e Guarucanga (Boiçucanga), a altura da água pluvial chegou a 0,40 cm e 0,22 cm, respectivamente. “Estes foram os pontos de alagamentos mais altos que verificamos pela manhã”, falou Carlão. “Não houve necessidade de remover nenhuma família de suas moradias”, acrescentou.

Com relação à queda de árvores, um Caniveteiro caiu no km 143 da rodovia Rio-Santos, altura de Toque-toque Grande, também na Costa Sul, e interditou o trânsito. A equipe da Defesa Civil levou cerca de 20 minutos para remover a espécie e liberar o tráfego.

Em frente ao Balneário dos Trabalhadores, na Praia Grande, região central, houve a queda de outro Caniveteiro, que bloqueou meia pista. A liberação, no entanto, ocorreu rapidamente. “As duas árvores estavam sadias e caíram devido à força do vento. Por sorte, elas não atingiram nenhum veículo”, destacou Carlão.

Poste

Já na Costa Norte, a queda de um poste em cima do muro e do portão de uma residência, situada na rua Macuco, no Jaraguá, impediu a saída do morador até a realização do reparo pela concessionária de energia. Na mesma via pública, uma árvore também caiu.

Outras quedas foram constatadas na rua São Mateus e avenida Dario Leite Carrijo, no mesmo bairro.

Na Costa Sul, em Barequeçaba, o Corpo de Bombeiros removeu outra árvore caída na alameda Arapongas. Já a equipe da Defesa Civil iniciou, na parte da tarde, a remoção de um Jatobá com 24 metros de altura e 0,80 centímetros de diâmetro, derrubado pelo vento na rua Porto Seguro, em Maresias.

De acordo com Carlão, até o começo da tarde não houve mais chamados relacionados à queda de árvores. No entanto, ele informou que vistorias serão realizadas para averiguar possíveis ocorrências.

Segundo a Defesa Civil, a previsão é de mais pancadas de chuva forte no final da tarde desta quarta-feira (14) ou durante a noite.

(RS/RF)

Foto: Renata Fernanda | PMSS e Divulgação

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam